quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Chefe da ONU celebra sabedoria de Mahatma Gandhi no dia da não violência

Secretário-geral António Guterres está em Nova Délhi, onde visitou nesta terça-feira o Memorial Raj Ghat, marco onde Mahatma Gandhi foi cremado, em 1948. Chefe das Nações Unidas descreveu o líder indiano como “a maior alma que já viveu” no mundo.
Neste 2 de outubro, data do nascimento de Gandhi, a ONU lembra o Dia Internacional da Não Violência.
Em mensagem para o Dia Internacional da Não Violência, lembrado neste 2 de outubro, o secretário-geral da ONU, António Guterres, celebra o legado e a sabedoria de Mahatma Gandhi, descrito pelo chefe das Nações Unidas como “a maior alma que já viveu” no mundo. O dirigente da Organização está em Nova Délhi, onde visitou nesta terça-feira o Memorial Raj Ghat, marco onde o líder indiano foi cremado.
“Posso apenas esperar que todos os que têm responsabilidade política no mundo consigam ser merecedores de Mahatma Gandhi e consigam entender que eles devem alcançar seus objetivos por meio do diálogo, da não violência e de um compromisso firme com a verdade e com o bem-estar de seus povos”, afirmou Guterres.
Segundo o secretário-geral, a filosofia do ativista indiano permanece sendo uma “inspiração”. “Nas Nações Unidas, um mundo livre da violência, e a resolução das diferenças através de meios não violentos, está no centro do nosso trabalho.”
Guterres prestou uma homenagem a Gandhi durante visita ao local em que o militante pró-independência foi cremado. O líder indiano foi assassinado em 30 de janeiro de 1948, aos 78 anos de idade. Gandhi nasceu em 2 de outubro de 1869, data escolhida posteriormente pela comunidade internacional para marcar o Dia da Não Violência.
De acordo com o chefe da ONU, a Carta da Organização determina, em seu capítulo 4, que caminhos pacíficos — negociação, mediação, arbitração, resoluções jurídicas — devem ser prioridade entre todas as estratégias para lidar com ameaças à paz.
Esse princípio do documento, acrescentou Guterres, ecoa os valores de uma célebre citação de Gandhi: “a não violência é a maior força à disposição da humanidade”.
O secretário-geral disse ainda que o legado do ativista indiano inclui a luta pela justiça social — um lembrete importante em tempos de aumento das disparidades econômicas.
Guterres defendeu a promoção de uma globalização mais justa, baseada na dignidade humana, sobretudo porque os países estão “se empenhando para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, garantir igualdade de gênero e não deixar ninguém para trás”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário