sábado, 20 de fevereiro de 2016

In Memoriam


Morre escritor italiano Umberto Eco, autor de 'O Nome da Rosa', aos 84

DE SÃO PAULO
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Morreu nesta sexta-feira (19), aos 84 anos, em Milão, o escritor e ensaísta italiano Umberto Eco. A causa da morte do autor, que tinha um câncer, não foi revelada.

Filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo, Umberto Eco era personalidade de renome no meio acadêmico. Sua obra mais célebre foi "O Nome da Rosa", livro que mistura a estrutura de um romance policial com referências eruditas. A obra, lançada em 1980, foi adaptada para o cinema seis anos depois pelo diretor Jean-Jacques Annaud.

No longa, Sean Connery interpreta o frade franciscano Guilherme de Baskerville, enquanto Christian Slater vive o noviço Adso von Melk. Ambos os religiosos investigam mortes que ocorreram em uma abadia no século 14.

"O Nome da Rosa", que vendeu mais de 10 milhões de cópias e foi traduzido para cerca de 30 línguas, foi a primeira obra em que colocou em prática suas teorias sobre a literatura, tendência que seguiria em seus outros romances.

Seu último livro, "Número Zero", foi lançado no ano passado como uma crítica ao mau jornalismo e à manipulação de fatos. À época, Eco disse: "Essa é a minha maneira de contribuir para esclarecer algumas coisas. O intelectual não pode fazer nada, não pode fazer a revolução. As revoluções feitas por intelectuais são sempre muito perigosas".

Ele também escreveu obras como "O Pêndulo de Foucault" (1988) e "O Cemitério de Praga" (2010), lançados no Brasil pela editora Record, além de "Tratado Geral de Semiótica" (1975) e "Apocalípticos e Integrados" (1964), publicados no país pela editora Perspectiva. Seus trabalhos eram usados em cursos de comunicação em todo o mundo. [...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário