quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Países lutam para atender crescente demanda por ensino médio, indica estudo da UNESCO


A demanda global pelo ensino médio aumentou exponencialmente, alertou um novo relatório das Nações Unidas. Os governos, especialmente na África Subsaariana, estão tendo dificuldades de se manter e muitas crianças estão sendo deixadas de fora.
“Não pode haver escapatória da pobreza sem uma vasta expansão do ensino secundário”, disse Irina Bokova, Diretora-Geral da UNESCO. “Uma população educada é a maior riqueza de um país”, acrescentando que as desigualdades apresentadas no relatório, especialmente em relação à exclusão das meninas do ensino médio, têm implicações enormes na obtenção das metas de desenvolvimento, desde a saúde infantil e maternal, passando pela prevenção do HIV até a segurança ambiental.
Em termos globais, o ensino médio tem acolhido quase 100 milhões de estudantes a mais a cada década, um aumento de 60% entre 1990 e 2009, disse a UNESCO. Porém, com mais e mais crianças completando o ensino primário, a demanda por vagas no ensino secundário vem subindo de forma precária. Uma criança na última série do ensino fundamental tem, na melhor das hipóteses, 75% de chance de fazer a transição para o ensino médio em quase 20 países, a maioria dos quais estão na África Subsaariana. A região tem também escassez de professores do ensino secundário.
“Todos esses dados reforçam a mensagem central: o ensino secundário é o próximo grande desafio”, afirmou Hendrik van der Pol, Diretor do Instituto de Estatística da UNESCO.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário