quinta-feira, 11 de maio de 2017

Chernobyl 31 anos depois: cooperação internacional ainda é necessária para enfrentar consequências

No 31º aniversário do acidente nuclear de Chernobyl, marcado no final de abril, a ONU destacou a necessidade de reforçar a cooperação internacional para enfrentar as consequências da pior catástrofe nuclear da história.
Em ocasião do 31º aniversário do acidente nuclear de Chernobyl, marcado em 26 de abril no Dia Internacional de Lembrança do Desastre, a ONU destacou a necessidade de reforçar a cooperação internacional para enfrentar as consequências que ainda persistem da pior catástrofe nuclear da história.
A explosão da usina atômica da cidade em 1986 espalhou material radioativo por uma área de 155 mil km2, envolvendo Belarus, Ucrânia e Rússia.
Cerca de 8,4 milhões de pessoas foram afetadas pela radiação nuclear, inclusive 600 mil que faziam parte dos combates ao incêndio causado pela explosão e das operações de limpeza.
As áreas agrícolas, de aproximadamente 52 mil km2, foram contaminadas com césio-137 e o estrôncio-90. Mais de 400 mil pessoas foram realojadas em outras áreas, mas milhões continuaram vivendo em locais onde a exposição à radiação causou uma série de efeitos adversos.
Os esforços da ONU para ajudar na recuperação da região começaram em 1990, quando a Assembleia Geral aprovou a resolução pedindo cooperação internacional para lidar com o problema.
Desde o desastre nuclear, programas e agências das Nações Unidas, junto a organizações não governamentais, lançaram mais de 230 projetos de pesquisa e assistência nas áreas de saúde, segurança nuclear, meio ambiente, produção de alimentos e informação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário