quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Grupo da USP quer levar modelo de construção de casa a refugiados

Equipe da Escola Politécnica está concorrendo a prêmio nos Estados Unidos, mas precisa de ajuda financeira
Por  - Editorias: Extensão

Um dos grandes problemas da construção civil atualmente é o grau de desperdício, tanto de materiais quanto de trabalho humano. Pesquisas desenvolvidas na Escola Politécnica (Poli) da USP apontam níveis de desperdício de 8% em perdas financeiras de materiais e até 30% em custos de retrabalho. Essas perdas causam impactos tanto econômicos quanto ambientais.
Pensando em uma forma de reduzir esses desperdícios, o Núcleo de Apoio à Pesquisa para a Mineração Responsável (NAP-Mineração) da Poli, com a empresa i9, desenvolveu um sistema de blocos encaixados que dispensa o uso de argamassas e a necessidade de perfurações para a passagem de encanamentos e conduítes. Isso diminui tanto os custos quanto o prazo de construção.
E é justamente esses benefícios do sistema de construção que uma equipe de estudantes da Escola Politécnica quer levar a refugiados. A ideia do time é construir moradias de forma mais rápida, barata e em larga escala para abrigar refugiados, ou ajudar na reconstrução do país de origem. A intenção é capacitar os próprios refugiados a construírem as casas, pois a utilização dos blocos encaixados é simples e não requer tanto conhecimento técnico quanto os blocos convencionais. [...]


Nenhum comentário:

Postar um comentário