sexta-feira, 11 de março de 2016

Brasileiro corta até gastos essenciais para enfrentar a crise, aponta pesquisa


DANIELLE BRANT

DE SÃO PAULO

Com um cenário de inflação em alta e desemprego crescente, os brasileiros ajustaram o orçamento para enfrentar a crise, principalmente a partir do segundo semestre do ano passado.

O comprometimento de renda com gastos essenciais —mais difíceis de cortar, como aluguel, alimentação e transporte— caiu de 39,3% em março do ano passado para 34,3% em janeiro deste ano, segundo levantamento feito pelo aplicativo de finanças pessoais GuiaBolso tomando como base as movimentações bancárias de 23 mil pessoas que usam a ferramenta. Março é o início da série histórica da pesquisa de hábitos e consumo.

"São despesas que você não tem muita flexibilidade para cortar, e mesmo assim as pessoas apertaram os cintos e fizeram ajustes no orçamento, afetadas pela inflação em alta, contas residenciais pesando mais e desemprego aumentando", afirma Thiago Alvarez, sócio-diretor do GuiaBolso.

A fatia de gastos com supermercados na despesa total dos brasileiros recuou de 14,2% para 13,1%. Já moradia caiu de 15,8% para 11,6%. "As pessoas substituíram marcas e cortaram produtos supérfluos, mas mesmo assim o mercado continuou com peso grande porque alimentação foi um dos itens que mais sofreu com a alta da inflação no ano passado", avalia Alvarez. Já moradia perdeu participação em parte pela renegociação de valores de aluguéis, que caíram no ano passado. [...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário