terça-feira, 19 de julho de 2016

Dia Internacional de Nelson Mandela 2016

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional de Nelson Mandela de 2016

Celebramos o Dia Internacional de Nelson Mandela todos os anos para destacar o legado de um homem que mudou o século XX e ajudou a definir o século XXI.
Este é um momento para que todos possam se renovar com os valores que inspiraram Nelson Mandela. Determinação absoluta. Um compromisso profundo com a justiça, os direitos humanos e as liberdades fundamentais. Uma crença profunda na igualdade e na dignidade de todas as mulheres e todos os homens. Um engajamento incansável para o diálogo e a solidariedade através de todas as fronteiras e divisões.
Nelson Mandela foi um grande estadista, um defensor feroz da igualdade e o fundador da paz na África do Sul.
A linha que une todos esses aspectos foi um humanismo incansável e abrangente. Sua visão considerava a humanidade como uma entidade única, de mulheres e homens unidos em torno de sua dignidade essencial, congregados por suas aspirações comuns por um mundo melhor.
Hoje, esta mensagem é mais importante do que nunca, para mulheres e homens em todas as partes do mundo, lutando em sociedades que passam por transformações profundas, e com tantos enfrentando os traumas do deslocamento e da pobreza. Em uma época de turbulência, Nelson Mandela nos mostra o poder de resistência à opressão, da justiça sobre a desigualdade, da dignidade sobre a humilhação, do perdão sobre o ódio.
Enquanto o mundo faz avançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e se esforça para superar novas fontes de adversidade, vamos nos recordar das lições de vida de Nelson Mandela, e do humanismo essencial que o orientou:
“Pois ser livre não significa simplesmente libertar-se das correntes, mas viver de forma a respeitar e aumentar a liberdade dos outros”.
Como embaixador da Boa Vontade da UNESCO e laureado em 1991 com o Prêmio da Paz Houphouët-Boigny, o legado de Nelson Mandela guarda afinidade com a missão da UNESCO, de empoderar todas as mulheres e todos os homens com base em sua igualdade de direitos e dignidade, para promover o diálogo e a solidariedade pela justiça e a paz duradoura. Essa ação e esse espirito nunca foram tão importantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário