segunda-feira, 27 de junho de 2016

OSESP TRICAMPEÃ NO 27º PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA COM "SINFONIA Nº 12" DE VILLA-LOBOS

OSESP TRICAMPEÃ NO 27º PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA COM "SINFONIA Nº 12" DE VILLA-LOBOS

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
ISAAC KARABTCHEVSKY REGENTE
CORO DA OSESP | NAOMI MUNAKATA REGENTE
CORO INFANTIL DA OSESP| TERUO YOSHIDA REGENTE
HEITOR VILLA-LOBOS
Sinfonia nº 12 | Uirapuru | Mandu-Çarará 
Gravadora: Naxos | Duração: 57'42''| Ano: 2015
Pelo terceiro ano consecutivo, a Osesp foi a ganhadora na categoria de Melhor Álbum Erudito no 27º Prêmio da Música Brasileira, com o CD Sinfonia nº 12 | Uirapuru | Mandu-Çarará, de Heitor Villa-Lobos, regido por Isaac Karabtchevsky. A entrega do prêmio aconteceu na noite do dia 22 de junho, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com a Osesp representada por seu diretor artístico Arthur Nestrovski.
Entre os três finalistas desta edição, a Osesp concorreu também com o título Sinfonia nº 3 | Suíte Cita | Esboço de Outono, de Sergei Prokofiev, regido por Marin Alsop
O CD Sinfonia nº 12 | Uirapuru | Mandu-Çararáintegra o projeto de revisão musicológica e gravação das 11 sinfonias de Heitor Villa-lobos, com regência e supervisão do maestro Isaac Karabtchevsky, e realização da editora Osesp.. As obras reunidas no CD mostram tanto o vigor orquestral universal da Sinfonia nº 12, como a sonoridade brasileira, característica da busca pelo nacionalismo na produção do autor, como em Uirapuru, peça de características modernistas, e Mandu-Çarará, cantata profana baseada em lendas indígenas da região do rio Solimões.
Nas edições anteriores, a Osesp também foi a ganhadora com dois títulos desse projeto: Sinfonia nº 10 – Ameríndia (2015) e Sinfonias nº 6 e nº 7 (2014), de Villa-Lobos, ambos com regência de Karabtchevsky.

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
MARIN ALSOP REGENTE
SERGEI PROKOFIEVSinfonia nº 3 Suíte Cita | Esboço de Outono
GravadoraNaxos | Duração: 61’28’’ | Ano: 2015
Sinfonia nº 3 | Suíte Cita | Esboço de Outono dá continuidade ao projeto de gravação da integral das sete sinfonias de Sergei Prokofiev, sob a batuta da regente titular Marin Alsop. A Sinfonia nº 3 usa elementos da ópera O Anjo de Fogo, do autor, tendo sido considerada pelo maestro Serge Koussevitzky “a melhor sinfonia desde a Sexta de Tchaikovsky”. O álbum inclui mais duas peças: a Suíte Cita, escrita originalmente para um balé de Diaguilev (e rejeitado por ele por ser impossível de dançar), inspirada em uma história do antigo e violento povo cita, na Rússia, sendo uma espécie de resposta criativa do compositor ao impacto da Sagração da Primavera de Stravinsky, e uma das partituras mais extraordinárias de toda a sua produção; e Esboço de Outono, que, apesar de curta, foi uma das peças mais queridas pelo próprio compositor.
Fonte: Alexandre Félix imprensa@osesp.art.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário