segunda-feira, 27 de junho de 2016

Campanha da ONU ‘Dia Laranja’ incentiva educação segura e de qualidade para mulheres e meninas

A Campanha UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres, do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, proclamou o dia 25 de cada mês como “Dia Laranja”, um dia para sensibilizar e tomar medidas para acabar com a violência contra mulheres e meninas.
Neste sábado (25), a ONU reafirma seu compromisso com a realização do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4: Educação de Qualidade, que reconhece a interdependência entre educação e desenvolvimento e tem como foco proporcionar ambientes de aprendizagem seguros, não-violentos, inclusivos e eficazes para todas e todos.
Campanha UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres, do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, proclamou o dia 25 de cada mês como “Dia Laranja”, um dia para sensibilizar e tomar medidas para acabar com a violência contra mulheres e meninas.
Como uma cor brilhante e otimista, o laranja representa, para a campanha, um futuro livre de violência contra mulheres e meninas.
Neste sábado (25), a ONU reafirma seu compromisso com a realização do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4: Educação de Qualidade, que reconhece a interdependência entre educação e desenvolvimento e tem como foco proporcionar ambientes de aprendizagem seguros, não-violentos, inclusivos e eficazes para todas e todos.
O ODS número 4 também tem por objetivo garantir que todos os alunos e alunas adquiram os conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável através dos direitos humanos, incluindo a promoção da igualdade de gênero e de uma cultura de paz e não-violência.

Dia Laranja

O Dia Laranja convida ativistas, governos e parceiros das Nações Unidas para se mobilizar e destacar a importância da prevenção e eliminação da violência contra mulheres e meninas, não só uma vez por ano, mas o mês inteiro.
Em 2016, uma nova agenda de desenvolvimento global foi aceita por todos os Estados-membros das Nações Unidas. Por meio dos 17 objetivos globais e das 169 metas da Agenda 2030, são abordadas três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômico, social e ambiental. A agenda também reconhece a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres como uma prioridade fundamental e garante que “ninguém será deixado para trás”.
Ao longo de 2016, a campanha UNA-SE, através do Dia Laranja, irá destacar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável que dizem respeito à violência contra as mulheres e meninas.

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4

Objetivo do Desenvolvimento Sustentável número 4 reconhece a interdependência entre educação e desenvolvimento, e tem como meta proporcionar ambientes de aprendizagem seguros, não-violentos, inclusivos e eficazes para todas e todos.
Além disso, também tem por objetivo garantir que todos os alunos adquiram os conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, defendendo direitos humanos, igualdade de gênero e promoção de uma cultura de paz e não-violência.
A educação de meninas é uma grande força impulsionadora para mudança social, crescimento econômico e estabilidade social, assim como para romper com barreiras que continuam impedindo que meninas tenham acesso à educação segura.
Muitas meninas sofrem violência de seus colegas estudantes, professores, administradores escolares, entre outros. Desde cedo, enfrentam assédio sexual, assédio moral e violência virtual. E a falta de supervisão sensível a gênero nas escolas aumenta o risco de intimidação, assédio sexual e agressão sexual contra as meninas.
Muitas meninas, especialmente as mais vulneráveis por sua classe social e raça, continuam a ser privadas do direito à educação; elas são mais propensas a ter responsabilidades familiares dentro de suas casas e, quando os recursos são escassos, a educação dos irmãos do sexo masculino pode ser priorizada.No Brasil, o entorno de muitas escolas segue como ameaça à segurança das estudantes, com baixa mobilidade e problemas de iluminação.
O fracasso em assegurar que meninas acessem seu direito à educação causa efeitos profundos sobre as meninas, e também para a sociedade como um todo. Para elas, a falta de educação traz consequências para toda a vida, como o aumento da dependência econômica, gravidez precoce, baixa autoestima e aumento da vulnerabilidade em situações de violência.

Iniciativas para promover o acesso seguro à educação para meninas

A ONU Mulheres e a Associação Mundial das Guias e Escoteiras (WAGGGS) está lançando um programa conjunto chamado “Vozes contra a Violência” em 35 países, incluindo Brasil, que envolve jovens na prevenção da violência contra mulheres e meninas e a adoção de um currículo de educação não-formal.
O programa já treinou mais de 3 mil jovens líderes e 97% delas mostraram ter aprimorado seus conhecimentos sobre violência contra mulheres e meninas. Ao completar o currículo, as jovens podem ainda desenvolver e implementar iniciativas de mobilização comunitária e advocacy em suas regiões pela eliminação da violência de gênero.
No Brasil, o projeto “Uma Vitória leva à Outra” foi lançado no ano passado no Rio de Janeiro, com o objetivo de promover a prática esportiva entre meninas para impulsionar a autoconfiança, debatendo formas de superar as desigualdades de gênero.
No Quirguistão, um projeto financiado pelo Fundo Fiduciário da ONU pelo Fim da Violência contra as Mulheres (UNTF) desenvolveu o Programa Escola Livre de Violência, ensinando as meninas moradoras de regiões rurais habilidades vitais para prevenir e responder às ameaças de violência na família, em suas escolas e na sociedade.
Na Armênia, um módulo sobre de Gênero e Violência desenvolvido com apoio do UNTF foi adotado pelo Ministério da Educação e Ciência.
A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNWRA) também organizou atividades sobre  casamento precoce, saúde das adolescentes, violência contra mulheres e meninas e direitos humanos, em coordenação com organizações locais e sete centros de programa para mulheres (WPCS).
Mais de 254.443 estudantes meninas receberam as oficinas de sensibilização em escolas preparatórias na Faixa de Gaza. A UNWRA também executa um programa educativo em 677 escolas para promover o acesso seguro à educação para meninas.

Sugestões de atividades para o Dia Laranja

– Vista a cor laranja no dia 25 de junho para mostrar seu apoio à eliminação da violência contra mulheres e meninas;
– Conscientize sua comunidade sobre os riscos de violência de gênero e fatores de proteção relacionados à educação. Lembre-se de envolver homens e meninos, professores e líderes em sua comunidade nestas ações de sensibilização como agentes de mudança.
– Envolva as gestoras e os gestores políticos locais e exija escolas seguras e equipadas (com iluminação adequada e vias de evacuação de segurança, por exemplo).
– Se você é uma professora ou um professor, envolva seus alunos (meninos e meninas) em conversas sobre a igualdade de gênero e sobre o que constitui a violência contra mulheres e meninas.
Fonte: https://nacoesunidas.org/campanha-da-onu-dia-laranja-incentiva-a-educacao-segura-e-de-qualidade-para-mulheres-e-meninas/ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário