quarta-feira, 9 de março de 2016

Café Controverso promove debate sobre as potencialidades e os limites do cérebro humano


Café Controverso promove debate sobre as potencialidades e os limites do cérebro humano 

Pelo segundo ano consecutivo, o Espaço do Conhecimento UFMG, em parceria com o Núcleo de Neurociências da UFMG, integra a programação da Semana Nacional do Cérebro. Realizadas entre os dias 14 e 20 de março, as atividades têm classificação livre, são gratuitas e se dividem entre o Campus Pampulha e o Espaço do Conhecimento. Integrando a programação, o Café Controverso do dia 19 de março também abordará questões relacionadas a proposta da Semana, aproximando o público de informações mais claras e consistentes sobre o funcionamento do organismo humano.

Discutindo o tema "Até onde o cérebro nos representa?", o museu receberá o professor Nelson Vaz, do Departamento de Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG e o professor titular da UFMG e líder do grupo de pesquisa do Núcleo de Neurociências, Márcio Moraes. O Café Controverso acontece às 11 horas, na Cafeteria do museu e tem entrada gratuita.

Nelson Vaz levará para o debate uma visão um tanto diferente da que normalmente é associada ao funcionamento do corpo, a partir de teorias que estudam o organismo humano dentro do contexto da linguagem e da epistemologia. “Para a maioria das pessoas, a ideia de imunidade está quase sempre associada a ideia de saúde. A mídia contribui muito para manter o pensamento de que o sistema imunológico será reforçado ou enfraquecido, de acordo com determinados comportamentos. Essa ideia, no momento atual, é ainda mais impulsionada em função do Aedes Aegypti e dos casos de microcefalia.”

Na visão do professor, as conexões entre a atividade cerebral, imunologia e combate a doenças são muito mais complexas e misteriosas do que a medicina atual tem conseguido investigar e, nesse sentido, o momento de propagação de vírus como o Zyca se mostra propício para uma reavaliação da forma como tem-se combatido as enfermidades. “Eu acredito que passamos por uma crise, mas ao mesmo tempo é uma oportunidade muito boa para educar o público e se falar francamente o que se pode fazer, apresentar um outro entendimento sobre o assunto”, acrescenta.

         Márcio Moraes acredita que questionamentos mais filosóficos sobre a neurociência, como os que buscam compreender onde está a mente humana, ou o "eu" de cada ser, podem levar a caminhos que não culminam em respostas concretas para o público. Para o professor, as conclusões apontadas por esse tipo de olhar para o cérebro ainda transitam muito no campo das opiniões, e não dos fatos, o que poderia propagar “falsas verdades” ditas por especialistas: "Se uma lesma e um corredor excepcional estivessem competindo uma corrida e o ponto de chegada fosse o final da galáxia, não faria diferença um andar mais rápido que o outro. Os dois estariam igualmente longe da chegada. A lógica funciona da mesma maneira quando pensamos nas respostas a essas questões; mesmo que um expert tenha mais conhecimento sobre o assunto, ele e um leigo estão muito próximos de não saber nada". 

Dessa forma, por meio de casos clínicos e científicos, Márcio Moraes pretende abordar funções e conceitos sobre o cérebro que normalmente não são apresentadas ao público, tratando da importância do órgão na constituição dos indivíduos.  “Todas nossas alegrias, tristezas, esperanças, desilusões e amores nascem do cérebro. Portanto, a importância dele na sobrevivência do organismo é de 100%. Sem ele nós não teríamos respostas comportamentais e motoras para evitar, por exemplo, nossa morte em determinadas situações.” 

Café Controverso

O conhecimento raramente passa pelo consenso e sua construção se faz, sempre, pelo diálogo. Nos Cafés Controversos, os temas são amplos e diversificados, e não se detêm aos tratados no interior do Espaço do Conhecimento: abordam diferentes setores da cultura, das artes e da ciência. Um espaço de debate e troca de ideias e perspectivas.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG. 

Serviço:

Café Controverso – Até onde o cérebro nos representa?

Data: 19 de março, às 11 horas

Local: Cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG - Praça da Liberdade, 700

Entrada gratuita

Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br/ (31) 3409-8350

Fonte: Tamira Marinho - Espaço do Conhecimento UFMG

Nenhum comentário:

Postar um comentário