segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Grupo da EACH/USP estuda fatores do envelhecimento saudável


O envelhecimento é um tema que ainda traz muita preocupação. Nessa fase as doenças, tanto físicas quanto mentais, costumam aparecer com maior frequência. É preciso lidar com as alterações que geram maior vulnerabilidade, como problemas no equilíbrio ou na memória, por exemplo. Mas a idade avançada não precisa se resumir a problemas. Pesquisadores da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP vêm desenvolvendo trabalhos que estudam a construção de um processo de envelhecimento mais saudável.
O Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Gerontologia (NEPEG) da EACH conta com diversas linhas de pesquisa voltadas para a velhice e o envelhecimento. A professora Mônica Yassuda desenvolve, no núcleo, pesquisas relacionadas à neuropsicologia do envelhecimento, memória e treino cognitivo. Nelas, investiga através de testes cognitivos se as alterações que o idoso apresenta são as esperadas para a idade, o que indica um envelhecimento saudável, ou se elas são sugestivas de demência. “Uma vez identificada alguma alteração patológica, a pessoa deve buscar um diagnóstico, e se ele realmente for de demência, ela já pode começar um tratamento mais cedo. Infelizmente, não se trata de um tratamento curativo, no caso do Alzheimer, mas existem medicamentos que suavizam o declínio. Há também a possibilidade de frequentar algum centro de reabilitação”, completa a professora. [...]

Leia a matéria completa em

Nenhum comentário:

Postar um comentário