quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Lições de Cidadania: O Zoológico de Brasília criou um Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) para melhor atender às pessoas com deficiência.

Acessibilidade
O Zoológico de Brasília criou um Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) para melhor atender às pessoas com deficiência. A sede do grupo foi instalada na área central do parque e conta uma estrutura toda especial para receber esse público. No local, por exemplo, há computadores modernos, que vão atender cadeirantes, cegos, surdos e mudos. A tecnologia vai permitir que um tetraplégico acesse um programa de informações ao fazer um simples movimento com a cabeça. Todos poderão fazer um passeio virtual pelo parque e conhecer de perto os bichos. Entre as atividades, estão programadas também visitas aos recintos dos animais e ao Museu de Taxidermia.
O Zoológico dá os primeiros passos para inclusão social. Mapas táteis foram espalhados pelo parque e 13 funcionários se formaram no Curso de Libras, oferecido pela instituição em parceria com a FAP/DF. Os investimentos não vão parar por aí. Em breve, serão revitalizados os banheiros, as calçadas e as placas dos recintos.
O Zoo também abre espaço para os profissionais com deficiência. Fazem parte da equipe de monitores uma cadeirante e uma pessoa com baixa visão. Tudo isso porque aqui ser “diferente é normal”.
Participe desse projeto e venha curtir essa aventura! Os interessados devem entrar em contato com a Superintendência de Educação e Lazer (SUEL), pelos telefones: (61)3445-7013/ 3445-7043. Anote também o telefone do Grupo de Pesquisa em Atividades Especiais (GPAE) (61) 3445-7009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário