segunda-feira, 7 de novembro de 2011

SESI Cultural / RJ - HAROLDO COSTA – Samba& Outras Coisas




SESI Cultural
Inaugura a mostra homenagem
HAROLDO COSTA – Samba& Outras Coisas
Abertura dia 7 de novembro, às 19h, no Teatro SESI Centro
Entrada franca
O Sistema FIRJAN, através do SESI Cultural, inaugura no dia 7 de novembro, às 19h, a mostra HAROLDO COSTA – Samba & Outras Coisas em homenagem ao talento incomparável de Haroldo Costa, marco na história da arte e cultura brasileiras. Este jornalista, historiador de música popular, escritor, compositor, ator, produtor e diretor de rádio, televisão e cinema, além de comentarista dos desfiles de Escolas de Samba, vem há mais de 60 anos despertando o interesse, a admiração e o reconhecimento da crítica e do público.
Para esta grande homenagem o SESI Cultural programou várias atividades: uma exposição de fotografias - algumas inéditas -, como as da turnê Brasiliana, da década de 50 e a primeira apresentação de Orfeu da Conceiçãono Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A festa continua com a estréia do curta-metragem ODUN- Haroldo Costa, luz & tempo, encomendado ao cineasta Renato Vallone, especialmente para o evento. A noite termina com uma surpresa preparada pelos seus amigos destes 60 anos de carreira, no palco do Teatro SESI Centro.
A homenagem prossegue nos dias 8, 11 e 16 de novembro com exibição dos filmes O samba mandou me chamar, dirigido por Haroldo Costa e Pedro Flores e o longa-metragem Pista de Grama. A exposição permanece no foyerdo Teatro SESI Centro, Av. Graça Aranha, 1 (2563-4163) de terça a sábado, de 11h às 21h, de 8 de novembro a 9 de dezembro de 2011 e de 10 a 27 de janeiro de 2012. Entrada franca.
HAROLDO COSTA –Testemunha e protagonista da cultura brasileira
A concepção e pesquisa de HAROLDO COSTA – Samba & Outras Coisas foi entregue à jornalista Eli Rocha que mergulhou no vastíssimo acervo pessoal de Haroldo Costa.
“Foi uma grata surpresa ter convivido tardes e tardes ao lado deste artista fantástico, que generosamente me deu acesso a seus múltiplos caminhos”, explica Eli Rocha. “O material pesquisado era tão vasto que foi necessário destacar quatro nichos de atividades para organizar a exposição. O samba vai estar presente, com certeza”, continua a pesquisadora “mas, serão mostradas também as Outras Coisas...”
A grande viagem para se conhecer Haroldo Costa tem início na década de 50, com sua participação como dançarino, produtor e um dos fundadores do Grupo dos Novos - oriundos do Teatro Experimental do Negro - que empreendeu a turnê Brasiliana, que circulou durante cinco anos, passando por 25 países da Europa e America Latina.
Já no Brasil, em 1956, a convite de Vinícius de Moraes fez o papel-título da peça teatral Orfeu da Conceição, tendo sido o primeiro ator negro a pisar no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A obra inaugurava a parceria de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e com isso, a Bossa Nova. Os cenários eram de Oscar Niemeyer, cartaz de Carlos Scliar. O destaque deste painel é uma carta escrita por Vinicius de Moraes que, carinhosamente, o chama de “Meu Orfeu Negro”.
A partir dos anos 60, Haroldo participa de momentos históricos nas rádios Mayrink Veiga e MEC. Escreveu, produziu, dirigiu e atuou nas TVs Excelsior, Continental, Tupi, Manchete e Globo. Atuações de destaque nas novelas Idade da Loba, Xica da Silva, Pantanal, Ana Raio e Zé Trovão,Kananga do Japão, Sítio do Pica-pau Amarelo, a minissérie Chiquinha Gonzaga e muitas outras.
Como escritor já lançou mais de 10 livros: Hoje é o dia! (1978), Fala, crioulo! (1982/ 2009), Salgueiro: Academia de samba (1984); Na cadência do samba (2000), Anos de Carnaval no Rio de Janeiro (2001),As escolas de Lan (2002), Salgueiro - 50 anos de glória (2003), Ernesto Nazareth – Pianeiro do Brasil (2005), Catullo da Paixão (2009), Álbum de Retratos - Ruth de Souza (2008).
Haroldo Costa nasceu em 13 de maio de 1930, no bairro da Piedade e é casado, desde 1956, com Mary Marinho. Entrou na vida artística no Teatro Experimental do Negro “de pára-quedas”, como ele mesmo diz. Foi chamado às pressas para substituir o protagonista em O filho pródigo, de Lúcio Cardoso, e nunca mais saiu de um palco. Obstinado, guerreiro, workaholic. Sua outra grande paixão, depois de Mary, é o Salgueiro. Começou em 1963, quando era júri dos desfiles das Escolas de Samba e o Salgueiro passou cantando Xica da Silva. Ele exclamou maravilhado: “Desisto de ser júri, vou ser salgueirense!”.
PROGRAMAÇÃO:
Dia 7 de novembro, às 19h
. Inauguração de uma exposição com fotos pessoais, cartazes, catálogos de espetáculos, programas de suas apresentações pelo mundo, uma carta de Vinícius de Moraes, capas de livro (acervo Haroldo Costa).
. Estréia do curta-metragem ODUN – Haroldo Costa, luz & tempo, encomendado pelo
SESI Cultural, e realizado pelo cineasta Renato Vallone que assina a direção, roteiro e montagem. O ensaio tem como ponto de partida a investigação da memória afetiva de Haroldo Costa, tanto na sua vida profissional quanto pessoal.
. Homenagem de seus amigos de toda a vida e a participação especial da Escola de Samba do Salgueiro.
Dia 8 de novembro, às 12h30
Para deleite dos cinéfilos, será exibido o longa-metragem Pista de grama, dirigido por Haroldo Costa em 1958. Nos papéis principais, os jovens atores Yoná Magalhães (1º longa-metragem da atriz) e Paulo Goulart. Completando o elenco Laura Suarez, Rodolfo Arena, Avalone Filho e Myrian Pérsia. Trilha sonora escrita e dirigida por Tom Jobim e a inesperada e belíssima participação de Elizeth Cardoso, cantando Eu não existo sem você, escrita especialmente para o filme pela dupla Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Ao violão, simplesmente, João Gilberto (que não faltou no dia da filmagem). 100´- Livre.
Dia 11 de novembro, às 12h30
. Samba & Outras Coisas- Talk-showapresentado quinzenalmente, há mais de um ano, por Haroldo Costa. Nesta sexta-feira, promove uma agradável conversa com cantor e compositor Tiãozinho da Mocidade.
Dia 16 de novembro, às 12h30
. Exibição do inédito O samba mandou me chamar, documentário de Haroldo Costa e Pedro Flores da Cunha. O filme transita pelas veias e vielas do samba de quatro Escolas: Mangueira, Beija-Flor, Nenê de Vila Matilde e Vai Vai. Conta a história de oito crianças das comunidades dessas Escolas; pessoas comuns e artistas que alimentam a cada ano essa manifestação artística. O samba deixa de ser o ator principal e vira coadjuvante para ilustrar a vida destas pessoas. Em finalização. Previsão de lançamento no Festival do Rio de 2012. 71´- Livre.
FICHA TÉCNICA
Realização: Sistema Firjan
Pesquisa, curadoria e produção: Eli Rocha
Textos: Liliane Schwob
Projeto gráfico: Flavia da Matta Design
SERVIÇO
HAROLDO COSTA – Samba & Outras Coisas
Mostra homenagem a Haroldo Costa com exposição de fotografias, algumas inéditas, cartazes, catálogos e livros; estréia do curta-metragem ODUN- Haroldo Costa, luz & tempo, de Renato Vallone; exibição do longa-metragem Pista de Grama, direção de Haroldo Costa; pré-estréia do documentário O samba mandou me chamar, direção de Haroldo Costa e Pedro Flores da Cunha.
Teatro SESI Centro, Av. Graça Aranha 1 (2563-4163)
Abertura da exposição: dia 7 de novembro de 2011, às 19h
Visitação: de terça a sábado de 11h às 21h
De 8 de novembro a 9 de dezembro de 2011 e de 10 a 27 de janeiro de 2012
Metrô: Cinelândia / Livre
Entrada franca (Distribuição de senhas uma hora antes do evento na bilheteria do teatro)

Assessoria de Imprensa / RS Comunicação & Eventos
Liliane Schwob
(21) 2547-4953 | 9124-4558 | lilianeschwob@gmail.com
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário