quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Em novo atlas, ONU mostra como saúde é afetada por mudanças climáticas

Fonte: http://www.onu.org.br/img/2012/10/omm.jpg 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Meteorológica Mundial (OMM) lançaram nesta segunda-feira (29/10) o Atlas da Saúde e do Clima, que mostra os principais desafios atuais para a saúde provocados pelas mudanças climáticas. O lançamento ocorreu no Congresso Meteorológico Mundial, em Genebra, na Suíça, que será encerrado amanhã (31). O documento apresenta exemplos práticos de como o uso de informações sobre o clima podem proteger o bem-estar mundial.
Dentre suas conclusões, o Atlas ressalta que a cooperação entre os serviços de meteorologia, emergência e saúde já está salvando vidas. Em Bangladesh, as mortes por ciclones diminuíram de 500 mil em 1970 para 3 mil em 2007. O documento também prevê que o uso doméstico de fontes limpas de energia reduziria as mudanças climáticas e salvaria as vidas de 680 mil crianças por ano como consequência da redução da poluição do ar.
As condições de extremo calor, esperadas de 20 em 20 anos, podem ocorrer a cada dois a cinco anos em meados deste século. Ao mesmo tempo, o número de idosos no mundo deve quadruplicar, chegando a 1,4 bilhão em 2050. A colaboração entre a saúde e a meteorologia pode direcionar medidas para proteger as pessoas nos períodos de clima extremo.
“Prevenção e preparação são o coração da saúde pública. A gestão de riscos é um dos nossos principais deveres. Informações sobre a variabilidade e as mudanças climáticas são uma poderosa ferramenta científica que nos auxilia nestas tarefas”, disse a Diretora-Geral da OMS, Margaret Chan. “O clima tem um impacto profundo sobre a vida e sobrevivência. Serviços meteorológicos podem ter impacto profundo na melhoria dessas vidas, também por meio de melhores resultados em saúde.”
Para ler o documento, clique aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário