sábado, 12 de novembro de 2016

Paraíso Perdido nos Bolsos - banda Pelos faz show de lançamento do seu terceiro disco no Centro Cultural Vila Fátima - 19 de novembro

PARAÍSO PERDIDO NOS BOLSOS: novo álbum da banda Pelos apresenta pluralidade musical e aborda política, amores e negritude
O show de lançamento será realizado no Centro Cultural Vila Fátima

 Nascida em 1999, a banda Pelos é um dos nomes mais importantes da cena rock em Belo Horizonte e chega ao seu terceiro trabalho de estúdio. A longa estrada – 17 anos – se traduz em canções maduras e composições ousadas nas quais não há preocupações com rótulos e a honestidade com a próprio música vem em primeiro plano, como pode ser sentido no novo trabalho da banda. 
O álbum “Paraíso Perdido nos Bolsos” traz dez canções que exploram as várias referências musicais dos integrantes, passeando pelo rock, blues, afrobeat, jazz e soul. A banda é formada por Robert Frank (voz, guitarra, violão, piano e synth), Kim Gomes (guitarra e synth), Heberte Almeida (guitarra e voz), Joymar BCastro (baixo e voz) e Mamede (bateria).  A produção do novo disco é assinada pelos próprios integrantes e pelo músico Fabrício Galvani, e conta ainda com participações de artistas da cena mineira como as vozes de Lu Daiola, Michelle Oliveira (Cromossomo Africano), Júlia Dias (Negras Autoras), Manu Ranilla (Projeto Manobra), Daisy Pacheco (The Us), naipe de metais de Jonatha Max (Pequena Morte), Ana Estrela e Pacífico Júnior, além do piano de Leonardo Ramos. 
O show de lançamento será realizado no dia 19 de novembro no Centro Cultural Vila Fátima (Rua São Miguel Arcanjo, 215- Nossa Senhora de Fátima), a partir das 15h, com show de abertura do músico Marquim D’Morais. A entrada é franca.
O álbum está disponível para streaming aqui


Trajetória e novos caminhos

A Pelos é uma dessas bandas essenciais para a compreensão do cenário rock de Belo Horizonte. Batizada originalmente de “Pelos de Cachorro”, a banda foi criada por jovens moradores do Aglomerado da Serra e ganhou espaço entre outros trabalhos importantes do cenário da capital. O trabalho, que agora segue novas direções, refletindo o universo musical diverso dos seus integrantes, começou inspirado na cena pós-punk dos anos 80. A banda faz rock do seu jeito, com a sua linguagem. Mesmo que carregue as referências iniciais em seu DNA, há muito mais identidade, fruto dos anos de estrada e diálogos realizados neste período.  Pelos traz no currículo os EPs “Olho do Mundo” (2012), DVD “Pelos - Um Filme Ensaio” (2010), além do “Memorial dos Abismos” (2008) e apresenta agora o seu terceiro disco intitulado “Paraíso Perdido nos Bolsos”. O novo disco se caracteriza por uma liberdade criativa maior em relação aos trabalhos, que, além do flerte com outras sonoridades, também explora temáticas diversas nas letras, indo da política às relações pessoais.  “O disco tem uma abertura maior e uma das novidades é um lado com mais referências da música negra, que não apresentamos antes, a exemplo da faixa ‘Fausto de Gueto’, que é um blues com uma pegada de soul, onde falamos sobre o orgulho negro e enfrentamento ao racismo”, conta o guitarrista Heberte Almeida. A faixa contou com o reforço de vozes femininas marcantes da cena belo-horizontina, como o coro que reuniu Júlia Dias, Manu Ranilla, Lu Daiola e um solo da cantora Michelle Oliveira.  “A gente queria montar esse coro meio gospel e foi muito bom contar com essas participações, por serem mulheres negras o que reforça o tema da música”, acrescenta Robert Frank, principal vocalista da banda. 

O processo de criação também foi mais compartilhado dessa vez, conforme conta Heberte Almeida, “as letras foram feitas de forma mais coletiva, sendo que algumas fizemos realmente juntos, ao mesmo tempo em que algumas letras surgiram de forma individual”, pontua. 

A produção do disco é resultado da parceria com Fabrício Galvani, que foi responsável por todos os trabalhos lançados até então. “Nossa história com ele começou em 2007, quando gravamos o EP Memorial dos Abismos, desde então todos os trabalhos da banda foram feitos com ele, no Estúdio Casa Antiga e também foi baterista da banda em 2012”, conta Heberte. O músico enfatiza que o produtor é muito presente em todo o processo, opinando sobre os timbres e arranjos das músicas, para buscar o melhor caminho.

Sobre a Pelos

Formada em 1999 a Pelos, originalmente batizada de “Pelos de Cachorro”, nasceu no Aglomerado da Serra, periferia de Belo Horizonte, e tornou-se um dos mais importantes nomes do rock na capital mineira, reconhecidamente uma das cenas mais pulsantes do gênero em todo o país. Com identidade marcante, a Pelos apresenta uma linguagem muito própria, definida por belos vocais e pela ousadia das composições, que soam grandiloquentes ao mesmo tempo em que encontram lugar na simplicidade do estilo. Há uma certa elegância em suas músicas em consonância com uma atitude urbana que as mesmas trazem. É rock, no fim das contas, mas como poucos artistas conseguem, a banda imprime uma forma muito particular de fazê-lo.



Este espetáculo é realizado com recursos do Descentra Cultura - Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte - Fundação Municipal de Cultura.

Serviço: Fundação Municipal de Cultura apresenta: Banda Pelos: lançamento do disco “Paraíso Perdido nos Bolsos”
Abertura: Marquim D’Morais
Entrada: Franca
Quando: 19 de novembro, a partir das 15h
Onde: Centro Cultural Vila Fátima (Rua São Miguel Arcanjo, 215 - Serra - Nossa Senhora de Fátima)
Ônibus 9031 e 102

Assessoria de imprensa: Rogério Dias – Aclive Comunicação e projetos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário