sábado, 4 de março de 2017

UNICEF: 75% das crianças migrantes sofreram assédio ou agressão nas mãos de adultos no Mediterrâneo

Fundo das Nações Unidas para a Infância lançou relatório que destaca as rotas da África Subsaariana para a Líbia e as travessias do mar com destino à Europa como algumas das mais perigosas e mortíferas do mundo para crianças e mulheres.
Em Mossul, no Iraque, Organização Internacional para as Migrações (OIM) alertou para aumento da violência. Milhares de pessoas chegaram nessa semana na região a sudeste da cidade, fugindo dos conflitos.
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou um relatório na terça-feira (28) que destaca as rotas da África subsaariana para a Líbia e as travessias do mar com destino à Europa como algumas das mais perigosas e mortíferas do mundo para crianças e mulheres.
“As crianças e mulheres refugiadas e migrantes estão sofrendo com frequência de violência sexual, exploração, abuso e detenção ao longo da rota migratória do Mediterrâneo Central desde o norte da África até a Itália”, alertou o UNICEF no documento.
De acordo com o relatório, 256 mil migrantes foram registrados na Líbia. Desse contingente, cerca de 54 mil são mulheres e crianças.
Além disso, acredita-se que pelo menos 181 mil pessoas – incluindo mais de 25.800 crianças desacompanhadas – tentaram chegar à Itália por meio de contrabandistas em 2016.
Na parte mais perigosa – do sul da Líbia para a Sicília –, uma em cada 40 pessoas é morta, apontou o UNICEF.
De acordo com a diretora dos Programas de Emergência do UNICEF, Afshan Khan, a rota é controlada principalmente por contrabandistas, traficantes e outras pessoas que procuram sequestrar crianças desesperadas e mulheres que buscam refúgio ou uma vida melhor.
O documento apontou que quase metade das mulheres e crianças entrevistadas sofreu abuso sexual ao longo da viagem. Em algumas ocasiões, durante várias vezes e em vários locais.
Além disso, cerca de três quartos de todas as crianças entrevistadas disseram ter “experimentado violência, assédio ou agressão nas mãos de adultos”, incluindo espancamentos, abuso verbal e emocional. [...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário